Tuesday, August 23, 2005

e lá se vai mais um dia

toda vez que eu chego em casa e vou subindo as escadas (são dois lances) vou pensando e subindo devagar por causa do cansaço e do salto que justo ontem eu inventei de usar. vou subindo e tentando tirar a chave da bolsa e desabotoar uma das sandálias tudo ao mesmo tempo e ainda pensando que, quem sabe um dia, quando eu chegar tarde assim do trabalho vai ter alguém me esperando assistindo tv e assim que eu abrir a porta vai perguntar porque eu me desgasto tanto com trabalho, dizer que eu perdi o jornal mas que não teve nada de novo e que tem café (que eu morro de preguiça de fazer). ao mesmo tempo que eu termino de dizer que não vamos mais falar sobre isso outra vez continuo pensando que tudo que eu quero é banho, colo e cafuné, e quem sabe um filme besta pra assistir junto. nesse momento eu acabo de fechar a porta e ver que as luzes estão todas apagadas, não tem ninguém em casa e eu tô morrendo de fome. preciso voltar, acender todas as luzes, ligar o som pra preencher o espaço e continuar pensando e falando sozinha que bem que eu queria saber que dia vai ser esse que não chega nunca.
.
.
porque se chamava moço
também se chamava estrada
viagem de ventania
nem lembra se olhou pra trás
ao primeiro passo, aço, aço
porque se chamava homem
também se chamavam sonhos
e sonhos não envelhecem
em meio a tantos gases lacrimogênios
ficam calmos, calmos
e lá se vai mais um dia
e basta contar compasso
e basta contar consigo
que a chama não tem pavio
de tudo se faz canção
e o coração na curva de um rio, rio
e lá se vai mais um dia
e o rio de asfalto e gente
entorna pelas ladeiras
entope o meio-fio
esquina mais de um milhão quero ver então
a gente, gente, gente
e lá se vai mais um dia
milton nascimento, lô borges, márcio borges

2 Comments:

At August 23, 2005 , Blogger Georgia said...

Tem dias que penso em ir embora de casa...só penso e logo que planejo, lembro que irei morar sozinha e que nao daria certo. Heheheh...Quando passei uma semana só foi uma tristeza, chegava e nao tinha com quem falar...ficava doida e ligava logo a net. A conta ficou carissima, na epoca nao tinhamos tv a cabo. Muitas vezes, adoro chegar em casa e tagarelar sobre o que aconteceu na minha vida. Qualquer coisa, me liga. Nao posso estar ai, mas faço companhia. :)

 
At August 24, 2005 , Anonymous Anonymous said...

:~

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home