Saturday, July 09, 2005

so i can finally breathe

acordei hoje sem vontade de viver.
aliás,
já tinha ido dormir ontem com vontade de morrer
(não tão dramático, mas fui dormir querendo não acordar)
estou doente, tenho certeza.
pra alguém que nunca dorme,
ter ido dormir às 20h não faz o menor sentido,
ainda mais em plena sexta-feira.

acordei me sentindo só, muito só.
nem ligando o som (o que normalmente resolve meu problema) deu certo.
eu acho que sou uma pessoa de vários amigos.
nas horas em que eu mais preciso eles aparecem.
mas sabe as horas que eu menos preciso?
eu tô sempre só.
não é uma questão de precisar.
nem meus amigos imaginários aparecem mais nessas horas.
é complicado, você sabe, às vezes, mesmo com alguém, a gente tá só.
já disse que não posso ficar sozinha nunca, deve ser por isso que eu não paro quieta.
mas eu tenho parado e ficado quieta nos últimos tempos.
devo estar numa fase de transição. o que lasca é não saber de onde pra onde.
não é bom pra mim, solidão, vou atrofiando num ritmo que só eu sei como me faz mal.
isso não é um pedido de socorro.
mas eu não tenho aquelas horas em que quero ficar só.
no dia que eu disser que quero, não acredite.
já aprendi a lidar com isso, daqui a pouco chega alguém e ok.
atrofia só mais tarde ou quem sabe, só amanhã.
já passei até semanas sem ela. quase senti falta.

sem ânimo pra nada, vou fazendo tudo que preciso:
trabalhando, trabalhando, ligando, sorrindo bem menos, mas ainda assim sorrindo e indo.
se pudesse, tinha nem saído de casa.
tinha ficado lá, esperando que alguém ligasse ou aparecesse de surpresa.
porque se eu ligo, sempre chama chama e ninguém atende ou todo mundo já tem planos nos quais não quero ou não posso entrar.
e se eu apareço de surpresa a pessoa nunca está.
só me resta então, esperar, aliás, não deve ter nada que eu menos suporte na vida do que isso.
deve ser minha cruz. não, certeza é.
esperar, em todos os sentidos da palavra, acaba comigo, mas, até agora só se foram 21 anos,
e a expectativa de vida da minha família é de 80 anos...
tá bom, né? chega de ladainha, ninguém merece.
daqui a pouco até meu blog vai ficar sozinho também,
esses textos da samantha reclamando da vida são de lascar.
desculpa.
eu não tinha a quem contar, contei pra web toda.

3 Comments:

At July 09, 2005 , Blogger Georgia said...

Sinceramente? Sempre que leio o seu blog e vejo um post desses, tenho mais certeza que somos parecidas. Eu vivo coisas semelhantes...sei muitas vezes como voce se sente...To louca pra te ver hj...Bjokas, até mais tarde.

 
At July 11, 2005 , Anonymous Ciro said...

=(

 
At July 12, 2005 , Anonymous bia said...

eu odeio isso! odeio sempre me sentir só!
n sabia q tu era assim tmabém :~~

mas pior do que estar só e se sentir só,
é estar no meio de várias pessoas, e mesmo assim se sentir só!

....

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home