Monday, March 21, 2005

é bem simples

são duas coisas diferentes, mas que, em algum ponto, se encontram.
sobre um tópico de discriminação sexual na comunidade do órbita no orkut:
todos nós temos preconceitos. ok. indiscutível isso. minha luta sempre foi para tê-los tentando entender o porquê e diminuí-los. e só o que o tempo fez foi ajudar. a cada dia que passa, eu quebro uma barreira dessas de julgar certo e errado nos outros, não estou na pele deles pra saber. o que eu não entendo é alguém ofender um grupo inteiro de pessoas do nada, de graça. um grupo inteiro de pessoas é um negócio muito grande pra ser conceituado. por exemplo: todo judeu é mão de vaca? quem disse isso? todos é gente demais. eu não conheço todos os judeus. e hoje em dia o que era exceção é mais comum do que se imagina. impossível de entrar na minha cabeça um negócio desses. se você não gosta dos brancos, dos anarquistas, dos petistas, do mulçumanos, não concorda com os pensamentos e atitudes dos homossexuais, dos suicidas e etc. tudo bem, eles também não concordam com você, eles têm as razões deles para ser como são. mas isso não existe, né? porque é que as pessoas são tão taxadas? os brancos e os negros, os de direita e os de esquerda. os certos e os errados. quem é você pra dizer quem é o quê nesse mundo de meu Deus? ah, é porque a sua mãe sempre disse que mulher foi feita pra homem. e você entendeu e também acha que é assim. ótimo. mas todos e qualquer um têm o direito de discordar e casar com uma parede branca se assim o quiser. e porque você tem problemas com isso? as pessoas deviam pensar mais nas pessoas como um pequeno mundo. todo mundo concorda e discorda em algum ponto na vida. eu tenho coisa em comuns com cada cidadão dessa terra, tenho certeza disso. o direito de um termina onde começa o do outro. e que os incomodados que se retiram. eu, particularmente, estou pouco prestando atenção se mulheres se agarram, homens, animais, se você gosta é das árvores, e aí? respeito sua opinião. quem sabe um dia você não me convence? ou não. sei lá. o mundo dá voltas. e um dia você pode ter um filho homossexual, ou a sua irmã pode assumir que é lésbica. aí você vai aceitar e dizer que no caso deles, é diferente. é sempre assim. a discussão começou quando um casal homossexual foi avisado por um segurança de que não poderia "se expor" dentro do órbita. que ali não era lugar "dessas coisas". seria cômico se não fosse trágico. e os casais heterossexuais que só faltam transar na frente de todo mundo? ninguém diz um ai. mas a questão não é essa. a questão é que tudo depende do bom senso. não existe lugar pra esse grupo e pra outro grupo. que é isso? vamos mandar os judeus para campos de concentração denovo também? o órbita é uma casa onde se paga para entrar. se você pagar, você entra. pode ser da religião que for, da classe social que for, da cor que for, do jeito que for. e os depressivos? odeio gente depressiva, pra mim deviam todos ficar juntos um enorme galpão escuro, chorando entre eles, pra não contaminar o resto do mundo. vai ser assim, agora? as pessoas são as pessoas. quantas pessoas torcem pro vasco? e dentre os torcedores do vasco tem gays, tem adventistas do sétimo dia, tem um viciado em cocaína, tem machista e feminista. e você ama os beatles? e de todos que gostam dos beatles, assim como você, tem assassinos em potencial, algumas mulhers a favor do aborto, gente com tiques nervosos. é uma questão de respeito. o órbita é um mundo resumido. lá dentro tem de tudo, como tem no mucuripe, como tem no cantinho do céu, como tem no conjunto ceará e no meireles. as pessoas tem que aprender a conviver direito. ninguém sabe mais, educadamente, perguntar se alguém se incomoda com alguma coisa. se eu fumasse, eu perguntaria no meu grupo de amigos se alguém se incomoda, antes de acender. é essa a idéia. é bem simples assim.
..
falando em noise 3d:
eu já fui muito pro órbita e gostava e ainda gosto. assim como já fui pro mucuripe, e pro ritz, e pro universal, e pro bardot, pra zug, pro rock café, hey ho, le clan, pachá, maria bonita, pro fafi, bebedouro, arlindo, bar do papai, bodega do poço, praia do futuro e pra do beach park, já fui pra show do beach park também, e no metrópole e no bodega show, lá na bezerra. eu vou pra onde meus amigos quiserem ir sem problema nenhum. a não ser que corra risco de vida ou algo assim, nem sei. eu sempre fui pro órbita porque eu SEMPRE prestigio todos os meus amigos que tocam, cantam, dançam, encenam, façam o que fizerem. eu sempre fui assim. se alguém for se apresentar no inferno, eu dou uma passada lá pra prestigiar. e vou pro noise também, desde o primeiro dia, literalmente. e consigo aproveitar tudo. ninguém tem direito de dizer que quem frequenta o órbita e noise é um perdido ou qualquer coisa. nem me conhece pra dizer nada. enfim. hoje, admito que vou muito menos ao órbita, não só porque meus amigos passaram a tocar em outros lugares, como também existem várias opções além de lá para ir. mas eu vou. e vou pro noise no dia que os dj's que curto tocam lá. ai, ai. que perda de tempo. sua e minha. você aí falando dos outros e eu aqui defendendo os outros e eu também. é como eu digo. ninguém tem absolutamente nada a ver com isso. nem eu. fale o que quiser. vai ter sempre alguém pra ouvir, concordar, discordar, responder e calar. e viva a diversidade.

14 Comments:

At March 21, 2005 , Anonymous Gabs said...

Ótimo post, Amy*. Acabei postando minha opinião lá no tópico da comunidade. Concordo com você: quem somos nós pra julgar o certo e o errado ou pra deduzir que o nosso jeito de viver, se comportar e de amar é que são o correto e os outros errados?
Beijos!

* É estranho escrever "Amy"... :D

 
At March 21, 2005 , Blogger Fco. R. C. Junior said...

Concordo plenamente, apesar de adorar o Órbita e as pessoas que trabalham lá tem certas coisas que não dá pra entender. Até porque quem conhece eles fora do Órbita sabe que não são pessoas caretas.
Mas fazer o quê? Cada um com suas neuras, nóias e infelizmente, preconceitos.

 
At March 21, 2005 , Anonymous Tiago Fechine said...

Oi Sam. Li todo o seu texto e concordo plenamente com seu ponto de vista. Acho que devemos respeitar todos como irmãos, assim como Deus nos fez, independente de raça, sexo ou opções sexuais, como vc frisou. Tenho amigos heteros e tb homosexuais e nem por isso deixo de gostar menos deles. Pelo contrário, depois que alguns amigos meus assumiram suas opções sexuais, eles ficaram mais verdadeiros, e verdade e autenticidade são duas coisas que eu prezo e admiro. Bjos!

 
At March 21, 2005 , Anonymous Aninha said...

Oi Sam!!! Vc não tem noção da saudade q tô de ti. Meu, li todo seu "diário" e me deu mais saudades ainda... Me senti dentro da sua casa, com vc, me senti do teu lado... Olha só, nunca fomos mto próximas, mas as coisas acontecem, o tempo passa, os pensamentos mudam... Eu fui p SP e depois q voltei tem uma frase "de lei" q gosto de falar mto "i am much more, than anytime before" (Linkin´Park - Breaking the Habbit) Lógico, p lado positivo! Quero q vc veja isso, quero nos dar a chance de "começar de novo", o q vc acha? Bom, infelizmente não tenho mais seus tels, então aqui estão os meus, me liga e vamos nos ver? 34592619 e 96161254. Bjos

 
At March 21, 2005 , Anonymous Aninha said...

Bom, já q vc respondeu tão rápido... Fala cmg no msn, ou pede autorização de novo, eu não tenho mais o seu, o meu é aninhasteinmeyer@hotmail.com . Eu vivo no Órbita, ontem mesmo tava lá. Bardot tb. Mas o Noise eu ainda não conheço... Bom, me add no msn e aí a gente combina, quem sabe logo antes da semana santa, né? Bjooo

 
At March 21, 2005 , Anonymous Anonymous said...

bem, li e reli umas 3 vezes seu texto... te vi apenas uma vez mas voce me fascinou desde o primeiro olhar. e que olhar!! o que mais me impressionou foi a forma com que expressa suas palavras. pessoas como voce são dificeis de serem encontradas. é o tipo que todo mundo queria ter pertinho... mais para escuta-la, do que pra falar. passaria horas ao seu lado, mesmo tendo milhões de problemas a resolver (como é meu dia-a-dia), isso não importa... hoje vivemos submersos num mundo de modismos, padrões pré-estabelecidos. e quando me deparei com suas palavras... voce vai meio que na contra-mão. firme nas suas crenças, acreditando nas suas palavras... personalidade forte como poucas vezes tive a felicidade de perceber em uma pessoa. viva a diversidade, mesmo que a grande maioria não seja assim tão diferente.........
1 beijo muito carinhoso de uma pessoa que te observa de longe!

 
At March 21, 2005 , Blogger ? said...

Julgar é uma tarefa abissalmente difícil. Difícil demais pra ser usada sem necessidade.

Julgar pessoas pela simples opção sexual é algo por demais "non sense". Um julgamento deve ter bons critérios, além de tolerância. (Detesto intolerância.)

Queria saber como fazer pessoas assim irem se preocupar com coisas mais valiosas. Se elas voltassem o julgamento e a preocupação delas pras coisas que realmente fazem mal a nossa coletividade, talvez estivéssemos um passo à frente de onde estamos.

 
At March 21, 2005 , Anonymous Pedro Benevides said...

Gostei muito do q vc escreveu Samantha, concordo plenamente com vc. Temos q parar com essa mania de julgar os outros e nos tocarmos de q todos somos diferentes, de um jeito ou de outro. E se queremos respeito a nosso jeito de ser, a nossa individualidade, temos q respeitar os q estão ao nosso redor.
Um beijão.

 
At March 21, 2005 , Blogger Juliana said...

:) adorei e concordo plenamente. seu jeito de falar isso foi tao gostoso de ler que li 2 vezes e nem percebi que era um texto grande.
adorei te conhecer - agora pessoalmente!
bjo, linda
:*

 
At March 21, 2005 , Anonymous Karen Gracy said...

Apesar de todos os outros lugares legais q conheci, a Órbita pra mim será sempre "A Órbita"... Mudou muita coisa por lá, desde que comecei a freqüentar, mas ainda não conheci lugar melhor pra sair, onde eu me sentisse melhor! Nunca interessou muito bem a opção sexual ou cor das pessoas q andam por lá, só não curto muito quando enche de playboyzada! Destesto gente fresca e sem noção! Enfim...

Ah, gostei de receber teu e-mail pq tinha perdido o endereço do teu blog! :)

E vamos combinar das próximas vezes pra gente se encontrar! rs

 
At March 21, 2005 , Anonymous Anonymous said...

Sam, lembrei de uma cena que vi um dia desses no Amicis. Tinha um casal hetero se comendo, apoiado no parapeito do mesanino onde ficam os djs. Ninguém disse nada, apesar de tão explicita que era a coisa. Talvez também não tivessem dito nada se fosse no orbita, no noise, no mucuripe ou seja lá onde for. A verdade é que isso que aconteceu com o casal gay e com o casal hetero não é uma questão isolada desse ou daquele bar/boate, mas de bom senso em âmbitos diversos que muitas vezes falta não só em quem trabalha, mas também em quem frequenta esses locais. Acho que o importante é isso, poder expor nossas idéias, se indignar com os preconceitos e - por que não? - também com a "liberdade" ou "libertinagem" que às vezes temos vergonha de repreender para não sermos tachados de caretas. Um beijão! Sônia

 
At March 22, 2005 , Anonymous Anonymous said...

Samantha,
li seu texto e concordo plenamente com seu ponto de vista! É isso ai quem somos nós para julgarmos o caminho escolhido por cada um? Enfim, adorei o que você escreveu...
Bjos... Saudades! Anya ;)

 
At March 22, 2005 , Anonymous Anonymous said...

Pessoa Bonita,
li seu texto e concordo plenamente com seu ponto de vista! É isso ai quem somos nós para julgarmos o caminho escolhido por cada um? Enfim, adorei o que você escreveu...
Bjos... Saudades! Anya ;)

 
At March 22, 2005 , Anonymous Anonymous said...

Pessoa Bonita,
li seu texto e concordo plenamente com seu ponto de vista! É isso ai quem somos nós para julgarmos o caminho escolhido por cada um? Enfim, adorei o que você escreveu...
Bjos... Saudades! Anya ;)

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home