Saturday, March 03, 2007

porque a vida é agora.

sim, o cara do visa tá mais que certo.
calma, não vou abandonar meus pensamentos melancólicos, mas vou anexar uns pensamentos positivos a eles, nada como um mixer na sua rotina.
engraçado como consigo fazer isso no trabalho.
na minha profissão tenho gás pra tudo, acredito que todos os problemas tem solução e grande lance é apostar na intuição e ser feliz. erro é aprendizado.
transpor esse negócio pra vida pessoal é que não tem a menor condição. triste, mas é verdade.
logo, vamos abdicar da vida pessoal.
(não, brincadeira).
mas eu posso, pelo menos, deixá-la um pouco de lado, já que sempre me dediquei, e muito, a ela.
outro dia eu tava dizendo:
cara, as pessoas não merecem. algumas simplesmente deixaram de merecer. é uma coisa incrível. eu volto à falar do bom senso. saber o seu lugar. saber até onde você pode ir, o que você pode fazer, falar, com quem e como. mas algumas pessoas não tem noção nenhuma.
isso me irrita, me perturba demais. demais. eu acho inacreditável determinados comportamentos.
depois eu penso se vale a pena gastar meu pouco tempo livre tentando entender. porque julgar eu não julgo, mas fico procurando respostas. e não acho. e acho que as pessoas não pensam muito nisso. as que são sem noção. porque enfim elas não tem noção, né? (tá ficando meio chato esse papo).
pois é, eu decidi que também não vou mais pensar. nisso. acho que a gente tem mais é que ceder. ouvir, engolir algumas coisas e ser flexível. não mudar, mas contornar as coisas que vêm sem que você queira que venham.
tô ficando cheia de manias. a última foi inventar de organizar as mp3. nome do cantor tracinho nome da música. sem acentos. tudo em letra minúscula. duas letras por dia. terminei as nacionais já. estou na letra 'k' das internacionais. devo acabar daqui pro próximo final de semana.
e tô quase desistindo, denovo, da vida acadêmica. eu gosto é de ir trabalhar todo dia. entendi porque me tornei workaholic, é tudo tão mais fácil. quer dizer, difícil. desafiador. dinâmico. constante. recompensador. sim, recompensador. no meu caso, pelo menos. eu analiso, planejo, ajo, e tem retorno. mesmo que ruim, algum retorno tem. e logo. e pronto. basta uma vez. se for bom, repete. se for ruim, reanalisa, descarta ou replaneja.
'ah samantha, você quer que tudo seja igual uma maquininha...'
claro que não! tem muita coisa que não sai dentro da idéia, mas até isso é interessante.
pronto. acho que me falta interesse. tem gente que acha que eu devia consultar um médico de cabeça. desses que vão fazer você mesma dizer tudo e se auto-ouvir e se resolver. e pagar um absurdo.
faço isso antes de dormir, ou antes da tentativa de dormir. custa zero reais e acredito que meu tratamento está progredindo sempre. o problema é que quanto mais progressão mais coisas para tratar aparecem. mas depois que eu descobrir um jeito de estancar a progressão proporcional disso, fica tudo bem...
[haha, né?]

2 Comments:

At March 05, 2007 , Anonymous Kenji said...

Hmm... Um bom "médico da cabeça" sempre ajuda... Não é só porque você diz as mesmas coisas, mas porque é uma opinião imparcial e externa acerca das mesmas coisas... :D
Sabe esse negócio de dedicação, acho que vem sendo muito pessoalizado, basta ver que no Aurélio descreve-se Dedicar como consagrar-se, dar-se, oferecer afeto... e tudo isso é o que "average joe" generaliza como sendo dedicação... Então apelando à origem latina "dedicare" ou "dedicatio" significa, dentre outras coisas, inauguração de (ou honra a)um templo, pensando assim, dedicação é um pouco mais profundo do que se dar e consagrar a um fim, implica em reinaugurar a fé em uma instituição sagrada (antes o templo, hoje tantas outras coisas...), dedicação transpõe a mediocridade do afeto generalizado, ou deveria...
O que me corrói não é pensar que deixamos cada vez mais de adorar "templos" humanos, mas porque escolhemos deturpar até mesmo as palavras para que elas expliquem a insuficiência do esforço... Sim, viver é frustrante, e frustrar é esperar/buscar algo e não receber/atingir... Mas ao menos tentar sempre...

 
At March 15, 2007 , Anonymous candice said...

eu acho que ainda sou meio assim, de ficar procurando as respostas pras coisas mais inomináveis que acontecem ao meu redor. achei um texto ótimo. de ler, de pensar sobre, de mandar pras pessoas.

beijos, querida.

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home